Descrição

“A história remonta à quarta geração: ao avô do meu pai Gregório Rosa Portela (real fundador do atual lagar de azeite em Meirinhas). Reza assim a história que tudocomeçou com o meu bisavô Manuel Pereira Portela, agricultor de profissão, que explorou um lagar de azeite tradicional, movido a água, entre os anos 20 e 40 nas Meirinhas de Baixo. Contudo, teve o infortúnio de terminar os seus dias na sua própria exploração, em 1943. Infelizmente, com a passagem de geração não se deu continuidade à exploração do lagar de azeite, que está na posse da Junta de Freguesia de Meirinhas, servindo de apoio à Associação de Caçadores da Freguesia.

Apesar da descontinuidade do lagar de azeite, o senhor Manuel Pereira Portela Freire, o meu avô, manteve a plantação de oliveiras nas ínsuas do lagar. A sucessãodo gosto pela agricultura deu-se também na geração seguinte, onde o meu pai Gregório Rosa Portela continuou e continua na atualidade a acreditar plenamente que a agricultura tem um futuro promissor associado às novas tecnologias. Assim, Gregório Portela colocou mãos à obra e deu asas ao seu sonho e ao sonho do seu avô, aumentando a área do seu olival. Anos mais tarde, em 2017, Gregório Portela conjuntamente com esposa e filhos, fundaram então o Meirilagar, o lagar de azeite em Meirinhas, que faz questão de fazer jus à sua terra no seu próprio nome. Encontra-se em Covinhas, num local
diferente do lagar inicialmente mencionado, e não é um lagar tradicional, mas sim um lagar moderno que acompanha a evolução tecnológica, garantindo sempre a qualidade do azeite que ali se produz. Os fundadores do Meirilagar consideram que se deve apostar na agricultura nacional e na qualidade que por cá existe, associando a tudo isto paixão e trabalho. Neste lagar moderno, a azeitona passa por todos os processos que passaria num lagar tradicional, desde a limpeza, lavagem, moenda, termobatedura até à separação, mas com a vantagem de que a eficiência de produção é superior e a qualidade não é de todo comprometida.”