Descrição

“A História de uma família que redescobriu uma aldeia, uma história e uma tradição secular a 30 minutos de Lisboa!

A família Manz mudou-se para Cheleiros em 2004, apaixonou-se pela história da aldeia, fundou a ManzWine e hoje tem 2 dos 50 melhores vinhos de Portugal e produz o único vinho do mundo elaborado 100% com a quase extinta uva Jampal.
Para além da produção de vinhos Premium, o projeto da família Manz está a trazer vida de volta a uma aldeia romana quase abandonada, mesmo às portas de Lisboa. Durante as visitas guiadas, os turistas aprendem sobre história, sobre processos de colheita + vinificação + estágio, visitam a Adega/Museu e ainda terminam com uma Degustação de 6 Vinhos Premium, por apenas 6€.
Há muito tempo que a carreira de futebol de André Manz terminou e depois disso o brasileiro revolucionou o Fitness em Portugal nos anos 90 juntamente com a sua mulher Margarida Manz, sendo hoje o líderes nesse mesmo mercado com uma empresa de eventos, uma escola de formação, uma editora e uma empresa de consultoria para ginásios, entre outros.
Em 2004 a família mudara-se para Cheleiros, uma pequena aldeia cheia de história e tradição, buscando um local mais calmo e fugindo um pouco do stress da Capital. Há muito apreciador e apaixonado pela fantástica qualidade dos vinhos portugueses, André Manz percebeu a grande tradição de produzir vinho naquela aldeia e decidiu comprar um pequeno vinhedo abandonado. Queria produzir vinho para si e para os seus amigos!
Então 2 enólogos deslocaram-se à vinha para identificar o tipo de uvas que lá estavam e foi aí mesmo que tudo começou… os dois especialistas não conseguiram identificar os cachos de uva branca que lá cresciam! Pesquisaram e descobriram; era uma uva portuguesa abandonada e quase extinta com o nome de “Jampal”. Disseram a André que ninguém mais cultivava essa uva porque era produzia pouco e não era rentável, chegando até a aconselhá-lo a arrancar aquelas cepas. André logo disse que não se interessava se a uva era rentável ou não e respondeu “Eu não quero produzir muito vinho, quero é produzir bom vinho!” e assim decidiu experimentar fazer vinho dessa uva. O resultado foi um vinho que surpreendeu a todos pela sua qualidade e diferenciação.
André Manz ficou super entusiasmado com a sua descoberta e com a qualidade dos seus vinhos e a brincadeira começou a tornar-se séria, clonando e plantando novas vinhas, apoiando os velhos agricultores da aldeia, acabando por se tornar num grande projeto de recuperação não só dessa uva, mas também de recuperar a produção de vinhos de qualidade que antigamente deram o reconhecimento a essa aldeia romana. Até um museu do vinho a família construiu!
O projecto foi crescendo e o reconhecimento da qualidade dos vinhos foi também crescendo cada vez mais. O místico “Dona Fátima” (batizado em homenagem a mãe de Margarida Manz), o único vinho monocasta Jampal do Mundo foi considerado um dos 50 Melhores Vinhos de Portugal!
Mas André não parou por Cheleiros (Lisboa) onde produz os vinhos DONA FÁTIMA, POMAR DO ESPÍRITO SANTO, PLATÓNICO, MANZ ROSÉ, PENEDO DO LEXIM e MANZ LISBOA. André queria ter o melhor que Portugal oferece nos vinhos e avançou com produção de 2 vinhos na Região do Douro MANZ DOURO e MANZ DOURO RESERVA COLECCIONADOR e na Península de Setúbal produz o CONTADOR DE ESTÓRIAS (Eleito um dos 50 Melhores Vinhos de Portugal) e o CONTADOR DE ESTÓRIAS RESERVA COLECCIONADOR (Medalha de Ouro no Concurso de Vinhos de Portugal).
O vinho é um negócio de história de tradição. É fantástico verificar como é a primeira geração de um projeto de vinhos e a forma como toda a aldeia está a rejuvenescer pelo dinamismo dos Manz.”